loader

Cirurgia e Traumatologia
Buco-Maxilo-Facial e Implantodontia

Áreas de Atuação:

CIRURGIA ORTOGNÁTICA
IMPLANTES
CIRURGIA DENTOALVEOLAR
CIRURGIA DOS TRAUMAS FACIAIS
CIRURGIA DE PATOLOGIA DO COMPLEXO MAXILOFACIAL
CIRURGIA DA ATM
RECONSTRUÇÕES ÓSSEAS

Saiba Mais

Chefe Serviço de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial HC/UFG, professor de Cirurgia Ortognática da Pós Graduação FO/UFG

- Residência em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofaciais HU/UFSC
- Mestre em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofaciais FO/UFU
- PhD em Ciências da Saúde FM/UFG
- Coordenador do Capítulo II do Colégio Brasileiro de CTBMF
- Coordenador do Programa de Residência em CTBMF HC/UFG
- Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial(CBCTBMF)
- Membro da International Association of Oral and Maxillofacial Surgeons (IAOMS)
- Membro da Association of Oral and Craniomaxillofacial Surgeons (AO/CMF)

Cirurgia Ortognática

A Cirurgia Ortognática é uma área de atuação da Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial que tem por objetivo a reestruturação do esqueleto facial.

Implantes

Há quase 30 anos que os implantes dentários oferecem a possibilidade de substituir os dentes em todas as suas funções.

Reconstruções ósseas

A perda óssea pode ser ocasionado por problemas congênitos, traumatismos, patologias e até mesmo a perda dental leva a diminuição da estrutura óssea.

CIRURGIA DENTOALVEOLAR

A cirurgia dentoalveolar é o tratamento cirúrgico das doenças dos dentes e dos tecidos de suporte, duros e moles da região bucal.

Cirurgia dos traumas faciais

O traumatismo na região da face pode afetar tanto a pele, gordura, músculos, nervos, como fraturar os ossos.

Patologias bucomaxilofaciais

Chefe Serviço de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial HC/UFG, professor de Cirurgia Ortognática da Pós Graduação FO/UFG

CIRURGIA DA ATM

As alterações funcionais do sistema mastigatório pela DTM são muito comuns na população em geral.

Conheça o Dr. Giovanni Gasperini

Chefe Serviço de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial HC/UFG, professor de Cirurgia Ortognática da Pós Graduação FO/UFG.

Saiba Mais

Áreas de Atuação

CIRURGIA ORTOGNÁTICA

Quem precisa de Cirurgia Ortognática?
Os pacientes que apresentam alterações nos ossos maxila e mandíbula, tais como mandíbula para frente (prognatismo), mandíbula para trás (retrognatismo), exposição exagerada de gengiva ao sorrir (excesso vertical de maxila), não mostra dentes ao sorrir (deficiência vertical de maxila), dentes da frente não tocam (mordida aberta anterior). 

O que é cirurgia ortognática virtual?
Com o avanço da ciência o planejamento dos casos cirúrgicos passou a ser computadorizado através da Tomografia computadorizada com a sobreposição dos tecidos moles da face. Desta forma o planejamento passa a ser tridimensional minimizando os erros ou deficiências do planejamento tradicional bidimensional.

Como é estabelecido o plano de tratamento?
O Cirurgião Bucomaxilofacial e o Ortodontista avaliam cuidadosamente a face e associado a uma série de exames complementares (fotografias, slydes, radiografias, tomografias, modelos dentários) estabelecem os objetivos ortodônticos e cirúrgicos a serem atingidos, observando sempre a necessidade e a vontade do paciente . São usados também programas de computador que auxiliam na projeção dos resultados. 

É preciso colocar aparelhos nos dentes para fazer a cirurgia ortognática?
Sim, em todos os casos é necessário o uso do aparelho ortodôntico.

A cirurgia pode ser realizada antes do tratamento ortodôntico?
Sim, após criteriosa avaliação do Cirurgião Bucomaxilofacial e do Ortodontista, em alguns casos pode se realizar a cirurgia antes, é a cirurgia de beneficio antecipado.

Qual a duração da Ortodontia?
Geralmente, na forma tradicional, cerca de 12 a 18 meses de preparo ortodôntico antes da cirurgia para melhorar o encaixe que os dentes deverão possuir após a cirurgia; passar pela cirurgia, e depois aproximadamente 10 meses para realizar o término do tratamento ortodôntico. Quando realizado o beneficio antecipado cerca de 12 a 18 meses.

Quem faz a cirurgia?
O Cirurgião-Dentista especialista em Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial é o profissional especialista para realização desta cirurgia.

Como é feita a cirurgia?
A cirurgia é realizada toda por dentro da boca não deixando nenhuma cicatriz em pele.

Qual a duração da cirurgia?
Normalmente de uma a duas horas.

Com qual idade pode-se fazer essa cirurgia?
A cirurgia Ortognática é realizada após terminado o período de crescimento, geralmente entre 14/15 anos para as gênero feminino 16/17 anos para gênero masculino. Algumas deformidades ocasionam alterações psicológicas e nesses casos pode-se optar em operar pacientes mais jovens em fase de crescimento.

Onde é feita a Cirurgia?
A Cirurgia Ortognática é realizada em ambiente hospitalar, sob anestesia geral e o período de internação é relativamente curto.

Qual o prazo de recuperação?
Normalmente, a recuperação dos pacientes é completamente estabelecida em torno de 3 a 6 semanas, dependendo do caso.

Plano de saúde cobre este tratamento?
Nem sempre, porém se o paciente possuir um Plano de Saúde, é possível negociar para que o convênio faça a cobertura das despesas hospitalares necessárias, para execução da cirurgia. Anestesia e cirurgia ortognática uma das grandes preocupações relatadas pelos candidatos a cirurgia ortognática diz respeito ao tipo de anestesia e seus riscos. Muitas pessoas relatam estar muito tranquilas quanto ao procedimento cirúrgico, porém estão bastante receosas quanto a segurança da anestesia.

1. Ponto: Antigamente, a anestesia era realizada com clorofórmio, éter, trilene e outros produtos que apresentavam, além de pouco controle no nível anestésico, um grau elevado de toxicidade, sensibilização crítica da fibra cardíaca, efeito residual excessivamente prolongado e um terrível mal-estar no pós-operatório.

Vômitos eram quase uma constante, criando muito desconforto para o paciente e muita preocupação para o cirurgião.  2. Ponto: O sensacionalismo que a imprensa faz, toda vez que ocorre um acidente anestésico. Desprezando os milhares de anestesias gerais realizadas no dia de um acidente, sem qualquer complicação e com excelentes resultados, toda a atenção é voltada para aquele episódio isolado. Que se torna gigantesco quando a vítima é uma pessoa de conhecimento amplo: um artista de televisão, um esportista famoso, um político conhecido. 

Qual é a realidade da anestesia, hoje? 
Aparelhos altamente sofisticados são capazes de monitorizar quase todas as funções básicas do organismo humano, durante uma anestesia. Medicamentos com um máximo de eficiência e um mínimo de efeitos colaterais negativos, foram desenvolvidos. 

Quase todos os pacientes estão praticamente acordados e alertas alguns minutos após o final de uma cirurgia.  

Contudo não se pode dizer que isso ocorrerá em 100% dos casos, em absolutamente todos os pacientes. Cada um tem a sua história pessoal, cada um tem reações diferentes e algumas surpresas podem ocorrer. O cirurgião, então, deve realizar uma completa e correta avaliação pré-operatória e pré-anestésica do seu paciente. 

E o risco de uma anestesia geral para uma cirurgia programada, quando todos os cuidados foram tomados, é inferior ao de se dirigir um automóvel, da porta de casa no bairro, até o centro de uma grande cidade. Riscos sempre existem, mas ninguém deixa de andar de carro por essa razão. Como ninguém deve deixar de fazer um tratamento de que necessita, por causa das fantasias de riscos ou problemas.








IMPLANTES

Há quase 30 anos que os implantes dentários oferecem a possibilidade de substituir os dentes em todas as suas funções. O método de tratamento é cientificamente fundado, sendo usado na Odontologia. 

Os Implantes dentários são suportes ou estruturas de metal posicionadas cirurgicamente nos ossos, maxila ou mandíbula, abaixo da gengiva. Uma vez colocados, permitem ao dentista montar dentes substitutos sobre eles. Por serem integrados ao osso, os implantes oferecem um suporte estável para os dentes artificiais.

A clínica realiza o planejamento virtual dos implantes?
Sim. Através de programa de computador específico é planejada a posição dos implantes.

O planejamento virtual é sempre necessário?
Não. O caso deve ser analisado e verificada a melhor forma de abordagem, seja ela tradicional ou virtual

Existe instalação de implantes sem cortes?
Erroneamente é veiculado nos meios de comunicação a realização da etapa cirúrgica sem cortes, ou sem cortes de bisturi. Como o implante é instalado no dentro do osso, inclusive dentro de um preparo para recebê-lo existe sim a perfuração na gengiva e no osso. Inclusive propagandas enganosas podem acarretar medidas junto ao CRO ou mesmo na justiça comum.

Os implantes servem para 3 grandes finalidades: 
- O restabelecer a função da mastigação e melhorar a estética.
- Para impedir forças de mastigação excessivas nos dentes ainda existentes.
- Para impedir a reabsorção do osso no local onde se perderam os dentes.

Geralmente existem 4 fases para o sucesso do tratamento com implantes: 
Exame clínico e diagnóstico – onde o seu dentista deverá avaliar a sua história clínica e efetuar exames complementares.
Fase cirúrgica – para a colocação dos implantes
Fase cicatrizador – tornar o implante externo ao meio bucal e viabilizar a prótese
Fase protética – para a confecção e colocação da sua prótese
Fase de Manutenção – para a vigilância periódica dos seus implantes

O que é carga imediata?
Outra alternativa viável, mas que deve ter indicação precisa, é o implante com carga imediata, que é definido como instalação de implantes em condições ideais de estabilidade primária, seguida da instalação da prótese em até 48 horas após a cirurgia do paciente. Nem todos os casos permitem a realização da carga imediata. 

Fumar atrapalha o implante? 
O cigarro prejudica a cicatrização e o processo de osseointegração do implante, sendo muitas vezes o motivo de falhas do tratamento, mas não é considerada uma contra indicação, sendo necessário uma conscientização do paciente para diminuir ou parar o hábito durante as fases do tratamento. 

A instalação do implante dói? 
Não. Todo o processo é realizado sob anestesia local. 

O pós operatório é dolorido? 
Nos primeiros dias pode ocorrer um pequeno inchaço por se tratar de um procedimento cirúrgico, porém é uma condição controlada com medicamentos que o dentista irá prescrever conforme a necessidade. O desconforto varia de acordo com a extensão da cirurgia e do próprio organismo do paciente, mas não deve causar transtornos significativos. 

O que é enxerto ósseo? 
Quando ocorre a perda de um dente, o osso que estava ao redor da raiz vai se perdendo gradativamente, em um processo chamado reabsorção óssea. Em casos que não há osso suficiente para fixação do implante, é necessário repor o osso perdido, através de cirurgias para a colocação do enxerto ósseo. Há diversas técnicas cirúrgicas e materiais utilizados no tratamento que vai depender da extensão e quantidade necessária. Os enxertos podem ser feitos previamente ou na mesma sessão da colocação do implante. Lembrando que ainda hoje o osso autógeno é considerado padrão-ouro para reconstrução óssea em bloco e sustentação dos implantes dentários

Qual o tempo envolvido no tratamento com implante dental? 
Depende de cada caso. Na maioria dos procedimentos com implantes convencionais deve-se esperar cerca de 2 a 4 desde instalação e confecção da prótese. Há situações específicas em que a prótese pode ser instalada em até 48 horas após a cirurgia, e outras, em que há necessidade de enxertos, tornando o tratamento mais longo. 

Quanto tempo dura um implante dental? 
Com um planejamento adequado, boa saúde do paciente e condições ideais de higienização oral e manutenção, o implante é definitivo e não há necessidade de remoção ou troca.

CIRURGIA DENTOALVEOLAR

A cirurgia dentoalveolar é o tratamento cirúrgico das doenças dos dentes e dos tecidos de suporte, duros e moles da região bucal. Incluem nesse tipo de procedimento as cirurgias de apicetomia, remoção cirúrgica de cistos de origem dentária ou não, cirurgia para tracionamento de dente impactado, cirurgia para remoção de dente incluso, remoção cirúrgica de dente extranumerário, cirurgia para enxerto ósseo com vistas à colocação de implante dentário, entre outras.

CIRURGIA DOS TRAUMAS FACIAIS

O que é?
O traumatismo na região da face pode afetar tanto a pele, gordura, músculos, nervos, como fraturar os ossos.

Causas mais freqüentes?
Pode variar de região para região, mas a causa mais freqüente de fraturas e ferimentos faciais graves ainda é o acidente automobilístico. Outras causas incluem ferimentos por arma de fogo, agressões físicas, acidentes domésticos (quedas em escadas, jardins, colégio, praça, etc.), acidentes no trabalho e trauma esportivo. Os segmentos da população mais afetados são os adolescentes e os adultos jovens.

Principais sinais e sintomas dos traumas faciais?
Dor em vários locais da face, crepitação óssea, hematomas e equimoses (áreas roxas ao redor dos olhos, nariz e boca), sangramento nasal, desvio nasal, afundamentos ósseos, dentes fora de posição, cortes na face, perda de visão, visão dupla, perda da sensação de cheiro, dificuldade de respiração.

Como se previne?
A prevenção de acidentes é um dos temas que mais atenção tem recebido nos últimos anos. A obrigatoriedade do uso do cinto de segurança e a presença do "air-bag" diminuiu consideravelmente tanto o número como a gravidade das lesões craniofaciais nos acidentes automobilísticos. O uso de equipamentos de proteção adequados na pratica esportiva e a obediência das normas de segurança no trabalho são outras medidas preventivas eficazes.

Como se faz o diagnóstico?
O diagnóstico é feito pelo exame clínico dos ferimentos e, nos casos de suspeita de fratura, fundamentalmente pela tomografia computadorizada. Nos ferimentos da pele deve-se examinar também a movimentação e a sensibilidade facial. É importante sempre procurar ajuda em um centro especializado para não deixar que lesões ocultas fiquem sem diagnóstico.

Como se trata?
O primeiro passo no tratamento é garantir a vida do paciente, excluindo ou tratando possíveis lesões vitais. A maioria dos ferimentos na pele pode ser tratada com anestesia local, limpeza exaustiva da lesão e sutura nas primeiras horas após o trauma. Uma análise clínica e laboratorial pré-operatória é fundamental para estabelecer as condições do paciente para submeter-se a um procedimento anestésico-cirúrgico e avaliar o seu risco.

As fraturas devem ser tratadas sob anestesia geral e, na maioria das vezes, o procedimento deve ser realizado entre 3-7 dias após o trauma. Os ossos quebrados são restaurados utilizando-se, geralmente, uma fixação com mini ou microplacas e parafusos de titânio. Este material é resistente, maleável e muito bem tolerado pelo organismo.

A permanência no hospital e a evolução pós-operatória variam segundo a gravidade dos ferimentos. Nos traumas faciais sempre haverá bastante inchaço e hematomas nas áreas afetadas, que persistirão por algumas semanas.

É certo que o melhor momento para restabelecer o posicionamento correto do esqueleto é neste primeiro momento, apesar de que em traumas graves não é incomum ser necessário mais de uma intervenção para melhorar o resultado.

CIRURGIA DE PATOLOGIA DO COMPLEXO MAXILOFACIAL

Vários tipos de patologias acometem a região maxilofacial, cistos, tumores benignos ou malignos, lesões fibro-ósseas dentre outras.

Clinicamente podem aparecer como caroços em boca ou face, assimetrias em face, úlceras ou machucados que não cicatrizam, mudança de cor da pele ou mucosa oral, e muitas vezes assintomaticos, o que pode levar a um diagnóstico tardio e consequentemente um prognóstico menos favorável.

O Cirurgião Bucomaxilofacial é o responsável pelo diagnóstico, tratamento e reabilitação dos pacientes que apresentam essas patologias.

Em algumas situações o tratamento necessita de uma equipe multiprofissional para oferecer a melhor condição possível ao paciente.

CIRURGIA DA ATM

As alterações funcionais do sistema mastigatório pela DTM são muito comuns na população em geral. Cerca de 60% dos indivíduos apresentam pelo menos um sinal de DTM como o ruído na Articulação Temporomandibular (ATM), e pelo menos 33% sofrem como dor na face ou na ATM. Pacientes com DTM podem apresentar dor na Cabeça Dor na face e no pescoço, dor na ATM (próximo ao ouvido), cansaço na mastigação e Ruídos na ATM (próximos ao ouvido). O tratamento cirúrgico, quando indicado, deve sempre ser acompanhado de tratamento clínico e fisioterápico.

OPÇÕES CIRÚRGICAS PARA AS ATMS
e a posição do maxilar estiver incorreta, cirrurgia para correção dos maxilares para reposicionar o maxilar superior e/ou inferior poderá ser indicada. Para restaurar balanço e potecialmente ajudar a resolver a disfunção. Estas são opções de cirurgias que seu Cirurgião Bucomaxilofacial poderá discutir com você:

ARTROCENTESE
Remoção de aderências por artrocentese e lavagem com medicamentos é um procedimento minimamente invasivo usado para diminuir dores na articulação e aumentar a amplitude de movimentos. Líquido estéril é introduzido por duas entradas na articulação para eliminar líquido estagnado e estender gentilmente a articulação. Este processo reverte pressões negativas que interferem na mobilidade do disco da articulação assim como mediadores químicos que causam dores e inflamações. No final do procedimento, medicamentos que lubrificam ou ajudam a reduzir inflamação poderão ser colocados nas ATMs. Artrocentese poderá ser realizada no consultório do Cirurgião Bucomaxilofacial ou num centro cirúrgico ambulatorial com anestesia local, sedação IV ou anestesia geral.

ARTROSCOPIA
Artroscopia é uma cirurgia minimamente invasiva bem na articulação que emprega um instrumento parecido a um telescópio miniatura chamado artroscopia através do qual o conteúdo das ATMs pode ser visualizado. Similar ao instrumento usado por Cirurgiões Ortopédicos nas articulações dos joelhos, este artroscopia especial é pequeno o suficiente para penetrar nas ATMs de modo que o Cirurgião possa ver a articulação, diagnosticar o problema e realizar os procedimentos cirúrgicos necessários. A remoção das aderências (cicatrizes) e/ou fragmentos de cartilagem poderão restaurar uma grande amplitude de movimentos e diminuir o nível da dor. A Artroscopia poderá ser realizada em um hospital ou em um centro cirúrgico ambulatorial sob anestesia geral, utilizando as mesmas condições esterelizantes e cirúrgicas que outros tipos de cirurgias de articulações.

ARTROPLASTIA 
Artroplastia é usada para reparar a porção interna das ATMs e para reposicionar e/ou reconectar um disco deslocado. O procedimento poderá aliviar dor, cliques e recorrente travamento do maxilar. Deslocamento do maxilar pode ser tratado comprimindo os ligamentos internos e tecnologia laser poderá ser empregada para auxiliar as manobras cirúrgicas.

ARTROTOMIA
Artrotomia é uma cirurgia de articulação aberta durante a qual uma pequena incisão é feita para expor as ATMs. Essa abordagem é usada quando artrocentese or artroscopia não permitem acesso o suficiente para um procedimento cirúrgico mais complexo. Artrotomia pode ser apropriado para reposicionamento e fixação de disco deslocado, remoção e modelagem de osso degenerativo e posicionamento de mantenedores de espaço.

CIRURGIA DE REPOSICIONAMENTO DE ARTICULAÇÃO
Cirurgia de reposicionamento de articulação envolve substituição de parte da ATM. Este procedimento é reservado para casos severos onde outras opções não tenham sido capazes de restaurar a função. Técnicas incluem o uso de autogeno (envolvendo o tecido do próprio paciente) ou material aloplástico (sintético). Recentes avanços na tecnologia providenciam partes específicas da articulação feitas sob medida para o paciente. O procedimento é realizado no hospital sob anestesia geral e internação é geralmente exigida. Em certos casos, gerenciamento de dor de longo prazo é providenciado por um centro da dor.

CIRURGIA DE CORREÇÃO DOS MAXILARES (CIRURGIA ORTOGNÁTICA)
Em alguns casos as disfunções das ATMs podem ser tratadas operando o maxilar para alterar sua posição de modo que a anatomia interna das ATMs funcionem melhor.

RECONSTRUÇÕES ÓSSEAS

A perda óssea pode ser ocasionado por problemas congênitos, traumatismos, patologias e até mesmo a perda dental leva a diminuição da estrutura óssea. Para reabilitação, pode ser necessário a reconstrução dos ossos e até mesmo dos tecidos moles da face.

Várias formas de enxertos ósseos e retalhos de tecidos moles oferecem um condição segura e satisfatória na tentativa de reestabelecimento das condições de vida do paciente.

Convênios

Agende uma consulta e veja a cobertura de seu convênio.


Premiação

Clínica Giovanni Gasperini

Recebe o Prêmio Prêmio Top Brazil Quality

Localização

Veja abaixo nossa localização:

Endereço:

Rua 145 nº263 - Setor Marista
Goiânia-GO

Fale Conosco:

(62) 3091-4020
caadodontologia@hotmail.com

Horário de Atendimento:

Segunda a Sexta: 8:00 às 18:00

Deixe sua Mensagem:



Atenção! Preencha todos os campos.